Escândalo VW: Berlim recomenda Honestidade aos Portugueses e esconde a Intrujice da Volkswagen

A fraude VW tem mais que se lhe diga. Os pontos visados são verdade mas importa contextualizar. Tb é facto que a indústria auto americana sofre de um claro desfasamento/atraso relativamente à europeia. Os carros europeus, sobretudo do grupo VW, são muto mais eficientes, menos poluentes e mais seguros que os made in USA. Se adicionarmos este facto com a aproximação do TTIP que fará os produtos europeus penetrar muito mais profundamente naquele país, temos completo o quadro de desespero das corporações americanas. Claro que elas teriam de fazer alguma coisa para tentar reverter o processo. Mas é evidente que não é esta fraude que vai melhorar o atraso da indústria americana. Trata-se apenas de tentar ganhar tempo. Acrescento ainda que a emissão de partículas poluentes entre as marcas europeias tem na VW o seu mais eficiente elemento. Todas as outras marcas, Mercedes, Peugeot/Citroen, BMW…poluem mais que a VW. Se é verdade que a VW ultrapassa os limites legais, então e os outros?

O Economista Português

Como a VW vigarizou os testes ecologistas

VWBatotasNosTestesFonte: http://www.theguardian.com/business/ng-interactive/2015/sep/23/volkswagen-emissions-scandal-explained-diesel-cars

Há uns anos, o Doutor Francisco Louçã descrevia o capitalismo como um bando de hipócritas capazes de tudo para ganharem mais uns milhões. Parecia uma caricatura mas mas o escândalo da fixação das taxas do Libor e agora a intrujice da Volkswagen para conseguir vender veículos poluentes a gasóleo mostram que essa caricatura era na verdade uma imagem pálida da verdade.

A fraude da Volkswagen foi descoberta pelos Estados Unidos. Qual foi a reação da querida União Europeia (UE)?  A querida UE recusa averiguar pois, se averiguar, a VW será obrigada a indemnizar os consumidores europeus, o que a comissão bruxelina pretende evitar – a bem dos europeus, claro. O presidente executivo da Volkswagen considerou que não valia a pena demitir-se, por tem dúvidas sobre a sua culpabilidade: com efeito, Martin Winterkorn declarou «não estar cônscio de nenhuma culpa da sua…

View original post 260 more words